Novak Djokovic alcançou uma marca emblemática nesta segunda-feira: 400 semanas como número 1 do mundo. Somando os pontos do hepta do ATP Finals no último domingo, o sérvio mais uma vez figurou na liderança do ranking. Aos 36 anos, o tenista segue com a meta de somar feitos históricos e traçou um objetivo para 2024. Quer conquistar o “Golden Slam” – os quatro Grand Slams da temporada e as Olimpíadas de Paris.

– Bem, você pode ganhar quatro Slams e um ouro olímpico. Sempre tive as maiores ambições e objetivos. Isso não será diferente no próximo ano. A motivação que tenho ainda está lá. Meu corpo tem me servido bem, me ouvido bem. A motivação, especialmente para os maiores torneios desportivos, ainda está presente. Ainda me inspira a continuar – disse Djoko.

Djokovic já era recordista de semanas como número 1 do mundo desde 8 de março de 2020, quando superou as 310 semanas do suíço Roger Federer. Pelo menos até o Australian Open, em janeiro, o sérvio vai continuar na liderança do ranking da ATP.

Graças ao grande desempenho na temporada 2023, Djokovic alcançou o feito de 400 semanas no topo. Além do Finals, o sérvio conquistou três Grand Slams (Australian Open, Roland Garros e US Open) e foi vice em Wimbledon, perdendo a decisão para Carlos Alcaraz. Ainda conquistou dois Masters e um ATP 250 para fechar o ano com sete títulos.

– Muito, muito orgulhoso. Quatro dos cinco torneios (grandes)… para ser honesto, não poderia pedir mais. É uma grande recompensa pelo que minha equipe e eu passamos neste ano, sendo um dos anos de maior sucesso que já tive na minha carreira – disse Djoko.

Djokovic no topo

A primeira vez que assumiu a liderança foi em julho de 2011, ficou ali por 53 semanas seguidas, até julho de 2012. Depois de alguns meses fora do topo, voltou para a liderança em novembro de 2012 e ali ficou até outubro de 2013. Entre julho de 2014 e novembro de 2016, o maior período seguido: 122 semanas.

Em novembro de 2018, voltou para a liderança, onde ficou por exatamente um ano, 52 semanas. Entre janeiro de 2020 e fevereiro de 2022 liderou o ranking. Oficialmente, são 86 semanas no topo no período, já que o tênis ficou parado por conta da pandemia. Foram mais 12 semanas entre março e junho de 2022.

Neste ano, voltou ao topo em 30 de janeiro depois da conquista do Australian Open. Foram sete semanas como número 1 do mundo até 19 de março, mais sete semanas entre abril e maio e mais duas semanas em junho. Reassumiu a liderança em 11 de setembro e não mais saiu. Já são 11 semanas desde então.

Com informações de: Ge

Artigo anteriorDra. Mayara propõe redução da jornada de trabalho para portadores de fibromialgia
Próximo artigoAmigo de fã de Taylor Swift, esfaqueado e morto em Copacabana, diz à polícia que assaltantes chutavam e gritavam que iriam matá-los