Classificado às oitavas de final da Libertadores, o Flamengo aguardará mais de dois meses para voltar a jogar pela competição. Assim como em 2019, a Copa América paralisará o torneio por um longo período.

No entanto, o Rubro-Negro encontrará desafios que não enfrentou há cinco anos. Naquela época, o Mais Querido efetuou uma troca no comando técnico entre a fase de grupos e o início do mata-mata e contou com a interrupção do Brasileirão na competição entre seleções.

Dificilmente o Flamengo promoverá uma mudança na comissão, uma vez que a diretoria possui muita confiança no trabalho de Tite. Mas o treinador precisará lidar com as dificuldades, principalmente relacionadas ao calendário do futebol brasileiro.

Em 2024, o Brasileirão não será paralisado durante a Copa América, e a CBF precisará repor duas partidas do Rubro-Negro que foram adiadas por conta da tragédia no Rio Grande do Sul. Com isso, a equipe não chegará “fresca” como os comandados por Jorge Jesus chegaram para enfrentar o Emelec.

Outro fator que pode ser um problema para o Flamengo é o nível de enfrentamento que encontrará nas oitavas de final. Em 2019, o time encerrou a fase de grupos na liderança e encontrou um adversário modesto no mata-mata. Atualmente, o Mais Querido ficou com a vice-liderança do Grupo E.

Vivendo um grande momento por conta das quatro vitórias consecutivas, a equipe de Tite viverá um hiato em busca da Glória Eterna. É cedo para avaliar se essa pausa será positiva ou negativa, pois dependerá da fase do Rubro-Negro no início de agosto, mas também do rival que enfrentará.

Entre semelhanças e diferenças de 2019 para 2024, o Flamengo busca se agarrar no sonho do tetracampeonato. E tornar-se o clube brasileiro com mais títulos da Libertadores e garantir uma vaga no Mundial de Clubes.

Artigo anteriorFelipe Melo revela bastidores da volta de John Kennedy e dá ‘puxão de orelha’ em atacante
Próximo artigoO maior evento de Administração do Estado do Amazonas: 1º CONGRAESO: Tecnologia e Inovação na Gestão