Um momento que era para ser felicidade e lazer compartilhados em família acabou em luto para a os parentes de Rodrigo Pereira dos Santos. O turista paulista, que tinha 36 anos, fazia um passeio em Maragogi, no Litoral Norte de Alagoas, quando mergulhou em água rasa de cabeça, lesionou a coluna cervical e morreu no hospital.

O acidente ocorreu no dia 16 de junho, quando ele estava com amigos e parentes.

O mergulho em ambiente raso fez com ele fosse levado para uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA). Em seguida, o homem foi levado para o Hospital Regional do Norte, que fica em Porto Calvo. No entanto, o estado de saúde dele era grave e, por isso, Rodrigo foi levado para um hospital em Coruripe.

Ele não resistiu aos ferimentos e morreu no último sábado (22) na unidade de saúde.

Charles Oliveira, um amigo da família, disse à TV Gazeta que os parentes encontraram dificuldade no socorro do homem com ambulância para o hospital, em decorrência do peso dele, que era de 180 quilos.

“Ele mergulhou, caiu de cabeça, bateu a cabeça, pareceu desacordado na água, resgataram, levaram para o hospital. Como ele é forte, pesado, teve dificuldade para transportar para uma ambulância. Levaram para hospital de Coruripe, lá ele ficou internado”, relata o amigo.

Ainda à TV Gazeta, esse amigo afirma que os familiares continuaram tendo dificuldade. Dessa vez, para transferir o homem para Maceió. “Não tinha espaço para a ambulância, a maca não aguentava, por causa de peso e espaço”, conta.

Segundo ele, na última sexta-feira (21), uma médica solicitou uma ambulância do Corpo de Bombeiros, que também não conseguiu transferir Rodrigo porque o estado de saúde dele havia piorado.

“Assim, não quiseram arriscar para transportar ele com medo de acontecer alguma coisa no caminho. A médica falou para esperar, ‘vamos dar medicação, ele melhorando, a gente tenta transferir ele’”, diz ele.

À TV Gazeta, o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) informou que todas as informações relativas à transferência do paciente de Coruripe para Maceió estão sendo apuradas.

Agora, a família encontra mais um obstáculo no caminho: o traslado do corpo de Rodrigo para São Paulo. Até esta segunda-feira (24), os parentes ainda não conseguiram fazer o procedimento porque companhia aérea recusou por causa do peso. Agora, os familiares tentam fazer o transporte via terrestre.

Artigo anteriorInscrições on-line para visitas mediadas ao Bumbódromo têm início nesta terça-feira
Próximo artigoFestival de Parintins 2024: Setemp realiza sorteio e entrega dos kits para os artesãos da Mostra de Artesanato e Economia Solidária