A modelo Alcimara Ventura, acusa o Jogador João Diogo Jennings (no detalhe), de estupro (Montagem Fato Amazônico

O jogador João Diogo Jennings, de 23 anos, do Botafogo Futebol Clube, de Ribeirão Preto prestou depoimento no início tarde desta segunda-feira (3), na 4ª DP, Praça da República, no Centro do Rio. Ele é um dos três atletas investigados por estupro e importunação sexual da modelo amazonense Alcimara Ventura, 27, em um hotel no Santo Cristo, na madrugada de 26 de setembro.

“Nesse momento, ele não tem nada a declarar. Ele é inocente. Ele está aqui por livre e espontânea vontade para comprovar a inocência dele”, afirmou a advogada Graciele Queiroz, que acompanhou o jogador ao DP.

Imagens analisadas

A Polícia Civil do Rio de Janeiro analisa imagens de câmeras de segurança de um hotel que, segundo a investigação, mostram jogadores do Botafogo-SP entrando no quarto de uma mulher que os acusa de estupro.

Alcimara Ventura, registrou queixa contra os atletas Eduardo Hatamoto e João Diogo Jennings. Ela alega que foi tocada sem consentimento, além de ter sofrido uma agressão ao resistir. Ela estava no quarto, na madruga de 26 de setembro, com Lucas Delgado, outro atleta do clube e que teve o contrato rescindido após a repercussão do caso.

Na sequência, outros jogadores aparecem no corredor. Entre eles, a polícia identificou Eduardo Hatamoto (calça comprida e camisa branca) e João Diogo Jennings (camisa preta), que tira a bermuda e fica de cuecas no corredor.

Passados cerca de 20 minutos após a entrada do casal, Jennings e Hatamoto, segundo a polícia, batem na porta do quarto. Pouco tempo depois, as imagens mostram a mulher saindo, passando uma das mãos no rosto e, com a outra, segurando sandálias. Em depoimento, ela disse que estava chorando após ter sido mordida em um dos seios por Hatamoto.

Ainda nas imagens é possível ver que um dos atletas, que a polícia diz ser Hatamoto, a segue no corredor e a leva para outro quarto. Os dois ficam no local por sete minutos, segundo a polícia. Depois, ela pega o elevador.

Entenda o Caso

De acordo com o Boletim de Ocorrência (B.O), Alcimara, saiu no último domingo (25) para se divertir com seus amigos. Eles foram para Boate Vitrinni Lounge Beer, que fica localizada na Barra da Tijuca.

Em determinado momento da noite, um amigo da jovem recebeu o convite para ir ao camarote e resolveu aceitar, levando Alcimara consigo. Foi neste momento que a vítima conheceu os suspeitos.

No camarote, Alcimara acabou trocando beijos com o jogador Lucas Delgado e, até esse momento, segundo ela, não tinha conhecimento da profissão do mesmo. A modelo aceitou ir para o hotel onde o atleta estava hospedado e consentiu em fazer sexo com ele. No entanto, ele não usou preservativo e acabou contrariando a vontade da denunciante.

Ainda segundo o B.O, pela madrugada, por volta das 04h, João Diogo e Eduardo Hatomoto entraram no quarto na intenção de também fazerem sexo com Alcimara, que se negou e deixou os jogadores furiosos. Neste momento, João teria agredido-a verbalmente e, Eduardo, fisicamente.

Durante a confusão, Alcimara chegou a ser mordida no seu seio direito, e precisou sair às pressas do quarto. Na recepção, aos prantos, a vítima tomou conhecimento de que os rapazes eram do time de futebol.

A vítima prestou queixa na delegacia mais próxima e foi acompanhada pelos agentes para ser atendida no Hospital Municipal Souza Aguiar, onde tomou medicação contraceptiva e contra HIV. Após ser medicada, ela fez exames de corpo de delito no Instituto Médico Legal (IML). Bastante abalada, Alcimara agora deseja que a justiça seja feita.

Os funcionários do hotel prestaram esclarecimento e a Polícia Civil do Rio de Janeiro (PC-RJ) está investigando o caso. As câmeras de segurança do estabelecimento já foram solicitadas. Até o momento os suspeitos não prestaram depoimento.

Artigo anteriorFernanda Paes Leme revela ter sofrido aborto em 2021: ‘Luto de algo que nunca vi’
Próximo artigoTCE-AM convida cidadãos para discutir problemas públicos