Alexandre, conhecido como "Teteco" e Samuel, acusados de participarem da morte do PM estão foragidos

Jussier Nascimento Lopes, conhecido como “Juca”, foi preso por envolvimento na morte do cabo da Polícia Militar, João Marcos Torres dos Santos, conhecido como “Puff” morto com três tiros por volta das 02h50 de quinta-feira (30) em um bar na avenida Margarita, conjunto Nova Cidade, Zona Norte de Manaus.

Além de “Juca” a polícia já identificou a participação de outros três homens no crime sendo eles: Rudson Castro Gama conhecido como ‘Dimenor’ que morreu na tarde de quinta-feira numa troca de tiros com a polícia, Alexandre de Souza Batista conhecido como ‘Teteco’ e Samuel Souza dos Santos que estão foragidos.

Joca, preso na quinta-feira, teria sido responsável em distrair o policial

De acordo com delegado, Ricardo Cunha, titular da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), Jussier foi o responsável por tirar a atenção do cabo da PM para que os outros comparsas pudessem realizar o crime.

Ricardo Cunha informou ainda que os tiros contra o PM foram disparados por Rudson Castro Gama e Alexandre de Souza, o “Teteco”, este último autor do primeiro disparo na perna do cabo. Os tiros fatais foram disparados por Dimenor.

Dimenor que morreu em troca de tiros com a polícia seria o responsável pelos tiros fatais no PM

O delegado Daniel Antony, que ouviu o depoimento de “Juca” informou que o suspeito nega a participação no crime, mas as imagens que foi o responsável em distrair a vítima.

De acordo com o delegado apesar de já identificado os quatro autores do crime, com um preso, um morto e dois foragidos, a polícia investiga se a morte do policial teve autorização de alguma facção criminosa da área.

“Existe a possibilidade de termos um mandante. A motivação do crime ainda é desconhecida”, declarou Daniel Antony, informando que não se pode desprezar que se os criminosos podem ter agido para roubar a arma do cabo da PM.

O crime

Imagens de uma câmera de segurança mostram que o PM conversava com um homem, ainda não identificado, quando outros dois homens se aproximam e atiram contra o cabo.

O policial tentou pegar a arma da cintura para atirar, mas não conseguiu. Este cai ao chão, os assassinos levam a arma que ele tinha na cintura e fogem. Um outro homem, que seria amigo do policial, que estava no local foi ferido na perna ao tentar reagir.

O militar foi morto com dois tiros na cabeça e um nas costas. A proprietária do estabelecimento informou à polícia que os homens estavam em um veículo de cinza e em duas motocicletas.

Os dois atiradores fugiram em uma motocicleta, levando a arma do PM. O homem que conversava com o policial fugiu em um carro, junto com outro homem.

O cabo que era diretor social da Associação das Praças da Polícia e Bombeiro Militar do Amazonas (Appbmam), de acordo com o presidente da associação das Praças de Polícia e Bombeiro Militar do Amazonas, Igo Silva, estava em um bar, na Avenida Margarita, com um amigo para comemorar a promoção a sargento.

Artigo anteriorCenas fortes: ex-jogador da Lazio sofre acidente grave na Bélgica
Próximo artigoServidora da SES-DF nega agressões contra turco: “Nunca mantive em cárcere”